sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Grapete: “Os melhores momentos da minha carreira foram no Mineirão”



José Borges do Couto, o popular Grapete, defendeu o Clube Atlético Mineiro por mais de uma década. Entre 1964 a 1975, o zagueiro ajudou o Galo a conquistar títulos importantes, como o Campeonato Mineiro de 1970 e o Brasileirão do ano seguinte. Nesse mesmo período enfrentou grandes estrelas do futebol nacional, como Pelé, Ademir da Guia, Rivellino, Tostão, Jair Bala, Gérson, Jairzinho, entre outros.

E boa parte desses duelos com os craques da bola foram disputados no estádio Governador Magalhães Pinto, o popular Mineirão, que será reinaugurado no próximo domingo (3). Cruzeiro e Atlético vão entrar em campo às 17 horas para disputarem o clássico que marca o retorno dos jogos no estádio fechado em junho de 2010 para receber as reformas da Copa do Mundo FIFA 2014.

“Os melhores momentos da minha carreira profissional foram vividos no estádio Mineirão. Lá ganhei o Estadual de 70, o Brasileiro de 71 e a Taça Minas Gerais em 75”, conta Grapete, que participou da primeira partida do estádio, em 5 de setembro de 1965. Naquele dia, a Seleção Mineira, formada por atletas de América, Atlético e Cruzeiro, enfrentou e venceu o River Plate, da Argentina, por 1 a 0.

“Lembro bem daquele dia, era um domingo. Fomos para o Mineirão enfrentar o River Plate da Argentina e o clima era de festa por parte dos organizadores e torcedores, que lotaram a arquibancada. Mas nós jogadores queríamos vencer o amistoso. Foi difícil, foi uma partida bastante disputada, mas no final conseguimos ganhar dos argentinos com gol do meu companheiro Buglê”, lembra o ex-jogador.

Naquela partida diante do River Plate, acompanhada por 73.201 pessoas, Grapete formou dupla de zaga com Bueno. A Seleção Mineira, comandada pelo treinador Gérson dos Santos, tinha além dos zagueiros, Fábio no gol, Canindé e Décio Teixeira nas laterais. Buglê, autor do gol da vitória, e Dirceu Lopes no meio e na frente Wilson Almeida, Silvestre, Tostão e Tião. Ainda participaram do jogo Geraldo, Noventa e Jair Bala.

Em relação ao duelo de reinauguração do estádio Mineirão, entre Cruzeiro e Atlético no domingo (3), Grapete espera que seja uma grande festa dos torcedores e jogadores, mas sem violência. Para o ex-zagueiro do Atlético, o fato de não ter sido convidado para participar do evento não o incomoda, mas admite que muitos colegas da época ficaram frustrados. “Agora os responsáveis pelo Mineirão só pensam no futuro”, ressalta.

“Pelo que vi na TV, o Mineirão está bem diferente daquele que a gente jogava. Aliás, o futebol também. Hoje a gente vê os times e não tem muito craque em campo. É um ou outro que se destaca. E eu acredito que isso é tudo culpa dos empresários, que prezam pelas questões físicas e deixam as qualidades técnicas de lado”, comenta Grapete, que atualmente comanda o Pousoalegrense Futebol Clube, junto com seu irmão Paulo Borges do Couto.

Ficha técnica do primeiro jogo da história do Mineirão

Minas Gerais 1 x 0 River Plate
Data: 05/09/1965
Motivo: Amistoso
Público: 73.201
Renda: Cr$82.792.265
Árbitro: Antônio Viug
Auxiliares: Joaquim Gonçalves (MG) e Luis Pereira Filho (MG)

Minas Gerais
Fábio; Canindé, Grapete, Bueno e Décio Teixeira; Buglê e Dirceu Lopes; Wilson Almeida (Geraldo depois Noventa), Silvestre (Jair Bala), Tostão e Tião.
Técnico: Gérson dos Santos

River Plate
Gatti; Sainz, Ramos Delgado, Grispo e Matosas; Capp (Viveica) e Sarnari; Cubilla (Sollares), Artime (Lallana), Delém e Más.
Técnico: Jose Curti 

Gol: Buglê, aos dois minutos do 2º tempo, para Seleção Mineira.
Cartões: Vermelho para Tião (Minas Gerais) e Sarnari (River Plate).

Com informações do Superesportes

2 comentários:

Valdir Barreiro disse...

grande grapete, sinto saudades do bom futebol que se disputava á muitos anos atraz onde se jogava com amor á camisa, diferente do futebol de hoje onde so pensam nos dolares

Prosperitus Engenharia e Technologia Ltda disse...

Cesar, primo do Jose Carlos Franco(
gato),

ÓTIMAS PESSOAS E GRANDES JOGADORES, O PAULO E O GRAPETTE.

SAUDADES DA DECADA DE 60, QUANDO PASSAVA FÉRIAS EM PA.